Desconto de Ano Novo
10% de Desconto na 1ª Mensalidade
00
Dias
00
Horas
00
Minutos
00
Segundos
Você Ficará com o Mesmo Professor Durante Todo seu Curso.

É errado ter sotaques em inglês?

POR
DANIEL CASDEN

O termo “sotaque” se refere à maneira como uma pessoa pronuncia as palavras de um idioma, tendo grande influência da sua região geográfica, história pessoal, cultura local e experiências linguísticas. Ele é uma característica tão fundamental quanto única na maneira como expressamos nossa língua.

Mesmo que não percebamos, todos nós temos um sotaque - fato que é evidente quando lidamos com pessoas de outras regiões do Brasil, um país riquíssimo em sotaques. Temos desde o “S” chiado do carioca e o “R” e “L” acentuados do gaúcho ao “R” puxado do caipira, refletindo a gama de culturas e influências regionais que moldam nossa linguagem.

A parte mais legal é que, mesmo com essas diferenças, podemos entender uns aos outros. No entanto, quando se trata de aprender inglês, será que é “errado” apresentar sotaques em inglês? 

Ao longo desse artigo, você vai descobrir a resposta para essa pergunta, incluindo a relação entre fluência e sotaque e muito mais.

Não perca: Como melhorar a conversação em inglês com 4 dicas infalíveis

Pule Para

É “errado” ter sotaques em inglês?

Não, não é errado ter sotaques em inglês. O que realmente importa na comunicação, em especial na língua inglesa, é a capacidade de ser compreendido pelos interlocutores, que tem muito a ver com a pronúncia correta das palavras.

Cada sotaque carrega consigo uma história, uma sensação de pertencimento a uma comunidade e uma riqueza cultural que merecem ser celebradas, não escondidas. Ou seja, assim como não deveria haver vergonha ou preocupação em relação ao próprio sotaque ao falar a língua portuguesa, o mesmo vale para o inglês.

Aliás, até mesmo os norte-americanos possuem sua vasta gama de sotaques, como você pode ver nesse vídeo:

Preste atenção nas diferenças entre os estados da costa oeste, New York e os estados do sul!

Dica de ouro: pronúncia é muito mais importante

No inglês, a pronúncia correta das palavras é a chave para uma comunicação clara e eficaz, ganhando muito mais importância do que o sotaque.

Entretanto, como muitos sons comuns no inglês não existem em nosso idioma nativo, é normal que os sotaques brasileiros apresentem desafios na comunicação com determinadas palavras. Alguns problemas de pronúncia comuns incluem:

  • Entonação na sílaba correta: no inglês, quase todas as palavras possuem uma sílaba tônica, e a entonação pode alterar completamente o significado da palavra;
  • W em vez do L no final das palavras: muitas vezes, os falantes brasileiros tendem a substituir o som do L pelo som do W no final das palavras (por exemplo, a palavra “fall” acaba sendo pronunciada como “fau”);
  • H em vez de R no começo das palavras: o som do R no início de palavras em inglês pode ser desafiador para aqueles que carregam o sotaque brasileiro, às vezes o substituindo pelo som do H (por exemplo, “rat” e “read” podem ser pronunciados como “hat” e “head”);
  • A partícula -ed no final dos verbos: presente nos verbos regulares em vários tempos verbais, a pronúncia desse sufixo costuma ter vogal muda. No entanto, os brasileiros muitas vezes vocalizam o E em vez de pronunciar apenas o som do D ou T (por exemplo, pronunciando “learned” como “lurn-ehd” em vez de “lurnd”);
  • D às vezes virando DJ e T às vezes virando TCH: essas substituições são comuns devido à fonética do português (por exemplo, “bad” é pronunciado como “badge” e “pit” como “pitch”);
  • O infame TH: ele representa um dos sons mais desafiadores para brasileiros nativos, já que o fonema não existe em nosso idioma. Além disso, o TH pode aparecer de duas formas diferentes – vozeado e desvozeado – dificultando ainda mais sua pronúncia correta.

Ter domínio sobre esses aspectos da pronúncia é essencial para uma comunicação clara e eficaz em inglês, especialmente em situações profissionais e acadêmicas onde a precisão linguística é fundamental.

Fluência e sotaque: qual a relação entre os dois?

Antes de prosseguirmos, é importante definirmos o que é fluência. O termo se refere à capacidade de se comunicar de forma natural e espontânea em um idioma, usando uma variedade de estruturas gramaticais e vocabulário e entendendo os nuances da língua falada.

Ou seja: é possível sim ser fluente no inglês mesmo sem ter um sotaque nativo. Muitos consideram que emular o sotaque nativo é a mesma coisa de ser fluente, mas essa noção está equivocada. Além disso, o sotaque não costuma ser um obstáculo para a comunicação desde que a pronúncia correta das palavras seja utilizada.

Dessa forma, podemos dizer que existe uma relação entre fluência e pronúncia. Em geral, quanto mais fluente uma pessoa é em um idioma, mais natural e espontânea será a construção das frases e sua respectiva pronúncia. Isso ocorre porque a fluência requer uma compreensão profunda da estrutura gramatical e do vocabulário do idioma, coisas que não dependem do sotaque.

verbo to be

E como fazer para melhorar a fluência no inglês?

Você sabia que aproximadamente 5% da população consegue se desenrolar na língua inglesa e apenas 1% da população brasileira é fluente no inglês?

Não é à toa que aprender inglês e atingir a tão sonhada fluência seja o sonho de muitos brasileiros. Além disso, ela está também se tornando cada vez mais importante em nosso mundo altamente interconectado, uma vez que existem muitos vídeos e recursos que estão disponíveis apenas na língua inglesa. 

Aliás, segundo a W3Techs, mais da metade das páginas da internet usa apenas o inglês como língua principal, enquanto apenas 2.3% das páginas estão em português.

Embora atingir esse nível requer bastante dedicação, aqui estão algumas dicas para melhorar sua fluência no inglês:

  • Pratique o inglês com frequência: quanto mais você praticar, mais confortável você ficará com a pronúncia das palavras e com a estrutura gramatical do idioma. Existem várias plataformas na internet (como o Reddit e comunidades no Discord) e aplicativos (como o Duolingo) que te permitem praticar o inglês de forma casual;
  • Escolha um método de estudo que te agrade: se você é uma pessoa visual, sugerimos que você busque por aulas, documentários, ou vídeos de entretenimento do seu gosto em inglês; caso você seja uma pessoa auditiva, escutar podcasts, audiobooks e relatos pessoais pode te ajudar na busca pela fluência; alternativamente, se você gosta de aulas personalizadas, você pode optar por fazer aulas particulares de inglês;
  • Crie oportunidades para se expor à língua inglesa: busque assistir a filmes e séries em inglês (mesmo com legendas), escute músicas que estão bombando nos países anglófonos, converse com falantes nativos, ou mesmo leia livros em inglês;
  • E, acima de tudo, não tenha medo de errar: é normal que tropecemos quando estamos aprendendo algo novo - e com idiomas não é diferente. O importante é aprender com os erros e continuar praticando!
Imagem promocional de The Crown.Sotaques em inglês
The Crown (2016) é uma das séries de drama biográfico mais famosas do mundo.

Obrigado por ler esta postagem

Se você gostou do nosso artigo, continue acompanhando nosso blog para conferir outros temas como este. Aproveite ainda para compartilhar este post com seus amigos e entes queridos nas redes sociais – como Facebook, LinkedIn e Instagram – para que eles também possam ver o aprendizado do inglês de uma forma diferente!

Procurando um curso de inglês?

Na Nativ Inglês, oferecemos uma grande variedade de cursos online com professores nativos. Você terá aulas cara a cara via chamada de vídeo num curso personalizado, exclusivo às suas necessidades e adequado ao seu nível de conhecimento.

Oferecemos cursos para iniciantes e cursos de inglês fluente para intermediários e avançados, além de cursos de inglês para empresas, inglês jurídico e inglês preparatório para os exames de proficiência em inglês.

Fale conosco e projetaremos um curso particular para atender às suas necessidades!

Compartilhe esse conteúdo
Categories
Postagens Relacionadas

Descubra como Podemos Ajudar

Single Blog Form

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Author Details

Daniel Casden

Daniel Casden é o coordenador da Nativ Inglês e fundador da abordagem “Nativ Inglês” para ensino da língua inglesa. Americano, mudou-se para o Brasil para morar com sua esposa brasileira; porém, após lecionar em cursos de inglês com currículos rígidos e obsoletos, optou por fundar sua própria escola. Atualmente, soma dez anos de experiência em ensinar inglês de forma intuitiva, prática e centrada no aluno.

Tendo vivido em diversos países e diferentes experiências profissionais,...

Saiba Mais
Saiba Mais Sobre Nossos Cursos
Envie-Nos Uma Mensagem E Fique Em Contato
Contate-nosContate-nos
seta de rotação azul

Fale Conosco pelo Whatsapp

Preencha e Seja Redirecionado para o Nosso WhatsApp Agora Mesmo!
Whats App Form
magnifiercross linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram